Conversano

Onde se encontra Conversano?

La città sorge su una dolce collina a 219 s.l.m., domina il territorio circostante sino al mare Adriatico che dista circa 6 km. Il paesaggio intorno è quello tipico della Puglia, molto verde, per la presenza di frutteti, uliveti, vigneti, mandorleti e soprattutto ciliegeti destinati all’esportazione. Confina a Nord col comune di Mola, a Nord-Est con Polignano, a sud-est con Castellana, a sud con Putignano, a sud-ovest con Turi e a nord-ovest con Rutigliano. La superficie del territorio (127 km²) è una tra le più estese del sud-est barese. All’interno del suo territorio sono presenti due isole amministrative (“enclavi”) appartenenti territorialmente al comune di Polignano a Mare.

O que ver em Conversano?

“Uma vila encantadora a 219 metros acima do nível do mar”, é a definição dos livros escolares, mas quem se aventurar na visita e no conhecimento desta cidade ficará encantado.
Terra de cores, perfumes, monumentos majestosos e vielas históricas.

O CASTELO DE CONVERSANO domina a colina, coração pulsante da cidade, residência da família Acquaviva d’Aragona, local de história e lendas para ouvir e explorar com curiosidade.

A PINACOTECA, residência das famosas pinturas que representam a “Jerusalém libertada” escritas por Torquato Tasso e pintadas por Paolo Finoglio.

A Catedral de Conversano também tem vista para a Piazza Castello. Em estilo românico apuliano, é um edifício muito característico, inteiramente em  pedra branca, com uma bela rosácea na parte central da fachada. A Catedral está perfeitamente intacta graças às obras de restauro que lhe deram o esplendor das suas origens.

A CATEDRAL BASÍLICA, exemplo típico da arquitetura românica da Apúlia, abriga o ícone da MADONNA DELLA FONTE, padroeira de Conversano.

O que comer em Conversano? Onde comer em Conversano?

Um produto típico da zona de Conversano é a CEREJA, o fruto vermelho por excelência e a inconfundível forma de coração, o sabor suculento e o cheiro que a rainha entre as variedades de cerejas exala à primeira dentada é verdadeiramente incomparável: a FERROVIA.cerejas conversano

O que fazer em Conversano?

Na primavera, realiza-se o “Maggio Conversanese”, um festival que gira em torno de eventos culturais e de entretenimento como o “Festival da Cereja”, um conhecido aniversário e uma oportunidade de provar produtos típicos locais

Vuoi assaggiare i piatti tipici della cucina di Conversano? prenota ora il tuo tavolo!

IGREJA E CONVENTO DE SS. DOUTORES COSMA E DAMIANO

elevação do castelo de conversano

Negli anni trenta del Seicento il conte Giangirolamo II Acquaviva d’Aragona (Il Guercio di Puglia) e la consorte Isabella Filomarino commissionarono il rinnovamento dell’antica chiesa romanica di San Matteo, intitolando il nuovo complesso ai Santi Medici Cosma e Damiano, a cui i conti erano particolarmente devoti, avendone ricevuto una grazia.
L’edificio preesistente fu sottoposto ad un totale rifacimento secondo lo stile barocco, e l’incarico dell’integrale riprogettazione dell’apparato decorativo interno, fu affidato al pittore napoletano Paolo Finoglio. Egli, morto prematuramente nel 1645, non vide mai compiuta l’opera, proseguita dai suoi allievi; la chiesa fu poi consacrata nel 1660 dal vescovo Giuseppe Palermo.
L’esterno si presenta estremamente sobrio, con muratura compatta e uniforme in pietra calcarea (quasi ispirandosi all’antico stile romanico). La facciata presenta cordoli che la percorrono orizzontalmente e, in asse con il portale di ingresso, una grande finestra con lesena, il cui modello è ripreso dalle più piccole finestre sul prospetto laterale (all’intersezione con Corso Umberto). Il campanile è a due ordini, in mattoni.

atrás do castelo Conversano

Visite nosso Bed & Breakfast em Conversano onde ficar para poder visitá-lo

A história de Conversano:

NORBA antigo

As origens da cidade remontam o mais tardar à Idade do Ferro, quando as populações indígenas, Iapige ou Peucete, fundaram uma cidade chamada Norba em uma colina mais alta que a área circundante e dotaram-na de imponentes muros de pedra (o topônimo, não único na Itália, na verdade significaria “cidade fortificada”).

A cidade tinha uma localização feliz, situada ao longo de um importante eixo rodoviário. Isso logo tornou um assentamento próspero, o centro de comércio entre as colônias da Magna Grécia na costa e as populações indígenas do interior. A grande necrópole que data do século VI a.C. de fato, devolveu dezenas de túmulos com ricos objetos funerários, em parte de origem helênica.

Em 268 aC, com a extensão da hegemonia romana em Peucezia, Norba também perdeu sua autonomia; no entanto, manteve um papel importante, como atestam os conspícuos achados de moedas, armaduras, artefactos em terracota e joias, graças às escavações arqueológicas realizadas no interior e no exterior das muralhas. A própria Tavola Peutingeriana relata o topônimo Norba, mas a cidade não sobreviveu à dissolução do Império do Ocidente, presumivelmente pelos visigodos de Alarico que passaram pela Apúlia em 411.

Visite nosso B&B em Conversano onde ficar para poder visitá-lo

Meia idade
Já no século V dC, não muito depois do presumível desaparecimento de Norba, e no mesmo local, fontes atestam a existência do topónimo Casale Cupersanem, que terá sido bispado desde o século VII. Em 949, os Annales Barensis testemunham a ação destinada ao cerco de Conversano pela aldeia Platipodi.

Vista aérea da cidade de Conversano

Ma fu dalla metà dell’XI secolo, con la dominazione normanna delle regioni meridionali della penisola italiana, che il luogo assurse a vero e proprio centro di potere: intorno al 1054 Goffredo d’Altavilla nipote di Roberto il Guiscardo, prese il titolo di comes Cupersani e fece della cittadina il fulcro di un’amplissima contea, estesa per buona parte della Puglia centro-meridionale, tra Bari e Brindisi e fino a Lecce e Nerito (Nardò). L’importanza della corte conversanese nel panorama nobiliare di quegli anni è ben attestata dall’aver ospitato a Conversano per alcuni mesi il duca di Normandia Roberto II detto il Cortacoscia, figlio del re d’Inghilterra Guglielmo il Conquistatore, che era di passaggio in Puglia al termine della prima crociata; Roberto II sposò anzi Sibilla, figlia di Goffredo, e ricevette una dote ampia abbastanza per riscattare l’ipoteca di 10.000 ducati sul ducato di Normandia accesa prima della partenza per la Terrasanta.

A ascensão do Acquaviva d’Aragona

L’ultimo conte Orsini del Balzo era Giovanni Antonio, figlio di Raimondo principe di Taranto e di Maria d’Enghien (che poi avrebbe sposato in seconde nozze Ladislao I d’Angiò). Giovanni Antonio diede in dote l’intera contea di Conversano – che comprendeva i centri di Castellana, Casamassima, Castiglione (centro abitato poi scomparso, tra Conversano e Castellana), Noci e Turi – a sua figlia Caterina, sposa del duca d’Atri Giulio Antonio Acquaviva. Iniziava così nel 1455 il lungo possesso del feudo di Conversano da parte della casata degli Acquaviva che, salvo una parentesi di quattro anni, lo avrebbe detenuto ininterrottamente sino all’abolizione dei diritti feudali del 1806.

Giulio Antonio Acquaviva, considerado por seus contemporâneos um valente líder, destacou-se sobretudo na batalha de Otranto contra os turcos (1481). Nesse mesmo ano, ele morreu em batalha por uma emboscada, deixando a rivalidade para seu filho Andrea Matteo. Ele também se destacou em inúmeras batalhas; o seu comportamento heróico valeu-lhe o reconhecimento, por parte do rei de Nápoles, Fernando I, do privilégio de juntar o brasão real ao brasão da sua família e de mudar o seu apelido para Acquaviva d’Aragona. Sua fortuna na corte, porém, foi ofuscada pela acusação de ter participado da chamada conspiração dos barões, tanto que sofreu a prisão e a perda temporária do condado em benefício do duque de Termoli, Andrea di Cápua (1504-1508). De volta a Conversano, pôde distinguir-se como patrono, bibliófilo e homem de letras e foi incluído na Academia de Jacopo Sannazzaro. Ele morreu em 1529, enquanto Conversano foi devastado por uma epidemia de peste.

Giangirolamo II, o Caolho da Puglia
O famoso Guercio delle Puglie, conde Giangirolamo II (1600-1665), também pertencia à família Acquaviva d’Aragona, que administrou a rixa de 1626 a 1665 cercada de enorme poder, muitos inimigos e muitas lendas.

Le cronache lo descrivono come un feudatario dispotico e senza scrupoli, avvezzo alla violenza gratuita e in grado di sfruttare ogni circostanza per accrescere il suo potere. Così fu in occasione dell’effimera repubblica napoletana di Masaniello (1647) che si propagò anche in Puglia: benché la corona spagnola si fosse rivolta a Giangirolamo perché riportasse all’ordine le terre pugliesi sollevatesi contro i signori locali (cosa che avvenne ad esempio in Terra d’Otranto a San Cesario e Nardò), quando i rivoltosi di Martina ripararono nel territorio di Conversano, il conte accordò loro protezione per servirsene più avanti come esecutori delle azioni più efferate nei confronti dei suoi sudditi meno docili, come accadde a Locorotondo in occasione del sacco del 1648. Ben presto, i tanti nemici di cui si era circondato fecero giungere notizia alla corte spagnola degli abusi di Giangirolamo, che nel 1650 fu pertanto tradotto a Madrid e imprigionato. Proprio quando si apprestava a tornare nel suo feudo lasciato nel frattempo nelle mani di sua moglie Isabella Filomarino della Rocca, morì vittima della malaria. Era il 1665.

escadas vicciarolo

Na realidade, a figura de Caolho fica incompleta sem mencionar o patrocínio de sua corte. Era certamente um programa político preciso, visando aumentar o prestígio da família. Entretanto Giangirolamo e sua esposa Isabella enriqueceram o acervo da família que com eles passou a contar mais de quinhentas pinturas e várias outras obras de arte, entre móveis e mobiliário; também acolheram o pintor Paolo Finoglio, que durante sua longa estada em Conversano (1622-1645) foi autor de várias obras: dos afrescos da câmara nupcial às dez grandes telas do ciclo inspiradas na Jerusalém libertada , ambos alojados no castelo, às suntuosas decorações das igrejas da cidade de Carmine e Santi Cosma e Damiano construídas naqueles anos.

Anche la costruzione dei trulli di Alberobello fu un espediente di Giangirolamo per eludere l’editto vicereale che richiedeva l’assenso della corte per la fondazione delle città: grazie alla particolare tecnica costruttiva a secco, ogni volta che si approssimava l’ispezione regia il Guercio poteva dare ordine di distruggere i tetti delle abitazioni, che in seguito sarebbero stati ricostruiti agevolmente.

Quer visitar Conversano e economizar no preço do B&B? Consulte a nossa disponibilidade e peça-nos um desconto!

paredes megalíticas
Uma importante obra de fortificação ao redor da colina onde outrora se ergueu a cidade remonta ao século VI aC, quando a cidade de Norba atingiu o auge de seu poder e riqueza. Esta parede, largamente incorporada em construções posteriores mas por vezes visível no tecido parietal ordinário, era formada por enormes matacões paralelepipédicos com uma secção média de 0,60 metros e um comprimento de 1,60, sobrepostos com técnica seca de modo a formar paredes espessas até 4 metros . Com 790 metros de comprimento, as paredes megalíticas abrangem uma área de 4,75 hectares. Ainda existem troços de muralhas em algumas zonas do centro histórico. Apresentam todas as características dos edifícios típicos dos pelasgos, e dizem-nos que o Conversano construído sobre aquelas muralhas deve ser considerado a reconstrução de uma cidade destruída, muito mais antiga e fundada pelos pelasgos no século XVIII aC; era em que emigraram do leste para Puglia.

Castelo
O Castelo de Conversano ergue-se no ponto mais alto da colina onde se ergue a cidade, numa posição capaz de dominar toda a zona envolvente até ao mar, e faz fronteira com o antigo Largo della Corte, uma grande praça de forma irregular de sempre o centro da vida da cidade.

Vista aérea da cidade de Conversano

Do castelo, que hoje se apresenta como uma cidadela de pedra composta por edifícios pertencentes a diferentes épocas e gostos arquitectónicos, pode-se apreciar ora o aspecto inexpugnável, ora o requinte dos ambientes nobres posteriores. Foi a residência dos Condes de Conversano por quase sete séculos, desde a era normanda. No entanto, sua história é muito mais antiga: provavelmente já na época da guerra greco-gótica (século VI dC). No mesmo local havia um edifício de defesa que incorporava uma seção das paredes megalíticas da antiga cidade de Norba.

Certamente os primeiros senhores feudais normandos impuseram a reconstrução de um solar sobre as ruínas do anterior no século XI. Do núcleo normando original, conservam-se ainda uma torre de base quadrada, conhecida como Torre Maestra, e um afresco na abóbada da entrada original, representando os santos Cosma e Damião. Posteriormente, importantes obras de ampliação foram realizadas, entre outras, pelos condes de Luxemburgo (século XIV) que promoveram a construção da alta torre circular no canto norte, precisamente onde a cumeada da acrópole se inclinava. Por volta de 1460, os Acquavivas construíram uma torre de base dodecagonal, mais atarracada e com paredes escarpadas, particularmente arrojada do ponto de vista da engenharia: de facto, no seu interior existe uma cisterna à volta da qual corre um corredor dotado de ralos, indispensáveis ​​à defesa da cidade.

Os séculos seguintes assistiram à posterior transformação do edifício que foi perdendo progressivamente as características de senhorial para assumir a forma de uma elegante casa senhorial, adequada ao prestígio dos poderosos senhores feudais. A entrada atual se abre ao longo do muro limítrofe localizado na Piazza Conciliazione, construída em 1710 a mando da Condessa Dorotea Acquaviva. É muito possível aceder a um pátio interior que por si só garante o acesso ao pórtico tardo-renascentista. Outras intervenções no conjunto edificado seguiram-se até ao final do século XIX.

Atualmente, o castelo é apenas parcialmente adquirido pelo patrimônio municipal, enquanto algumas alas – incluindo a câmara nupcial decorada com cenas do Antigo Testamento por Paolo Finoglio – ainda são propriedades privadas. Na área pública do edifício funciona agora a Galeria de Arte Cívica que expõe as grandes telas do ciclo de Gerusalemme Liberata também de Finoglio.

Lago Sassano

Nel territorio di Conversano, fuori dell’abitato, si può visitare la Riserva Naturale Regionale Orientata Laghi di Conversano e Gravina Monsignore: dieci doline carsiche, accogliendo l’acqua piovana, si trasformano in suggestivi laghetti; la gravina di Monsignore è invece un’incisione carsica che si estende dall’estrema Murgia di sud-est fino alla costa. Ammirate il paesaggio fatto di boschi, pascoli, campi e uliveti, e disseminato di antichi segni di insediamento come muretti a secco, ‘casedde’ e ‘specchie’.

a Reserva Natural Regional dos Lagos Conversano e Gravina Monsignore: dez fossas cársticas, que recebem as águas pluviais, transformam-se em lagos sugestivos; a ravina de Monsignore é, ao contrário, uma incisão cárstica que se estende desde o extremo sudeste de Murgia até a costa. Admire a paisagem composta por bosques, pastagens, campos e olivais, e pontilhada por vestígios de povoamento antigo como muros de pedra seca, ‘casedde’ e ‘specchie’.

Lungo la strada provinciale che unisce Conversano con Putignano, a circa 6 km dal centro si trova il Castello di Marchione. La costruzione era utilizzata come riserva di caccia dagli Acquaviva d’Aragona, abitualmente residenti nel Castello della città. Tale luogo, esteso per circa 1.260 ettari, era circondato da un bosco di querce e dalla macchia mediterranea. Di questa ricca flora sopravvive oggi solo una quercia, antica di cinque secoli. Secondo una leggenda un passaggio segreto collega il Marchione col Castello di Conversano.

É nesse cenário que acontecem as inúmeras manifestações culturais de Conversano, como a festa de Sant’Antonio Abate (17 de janeiro) e a Festa da Cereja (em junho). Fora da cidade, o Castelo Marchione e os sugestivos lagos esperam por você.

Onde dormir em Conversano?

Por que visitar Conversano?

logotipos do grupo norba

O Grupo Norba foi fundado em 1976 em Conversano, cidade artística da província de Bari, por iniciativa de Luca Montrone, que ainda hoje o preside. Norba é o nome pré-latino de Conversano, uma vila construída entre os séculos VIII e VI aC.

O Grupo opera há 40 anos como líder no setor de comunicação multimídia no sul.

Sede do grupo Norba e Luminarie

A partir de 2010, durante a experimentação que precedeu a passagem do sistema analógico para o sistema digital, nasceram as duas estações de TV temáticas do Grupo: primeiro a TG Norba 24, TV all news, e depois a Radionorba Television, a primeira rádio e televisão na Europa.

A nova sede em Conversano, “The Heart”, que se estende por uma área de mais de 3 mil metros quadrados, terá, entre outras coisas, um contentor para eventos ao vivo, salas digitais para a criação de conteúdos digitais e 4 novos estúdios para direto. As cenografias com design fluido e futurista, também criadas em colaboração com a divisão criativa Sky, terão uma infraestrutura tecnológica composta por mais de 100 metros quadrados de LEDs de alta resolução, 220 corpos iluminados, projetores de cabeça móvel e câmeras 4K, tudo gerenciado por um servidor de mídia para a sincronização de áudio, vídeo e gráficos.

Quer visitar Conversano e economizar no preço do B&B? Consulte a nossa disponibilidade e peça-nos um desconto!

ARTIGOS RELACIONADOS

Quer dormir em nossa estrutura?

Um desconto na hora para você


Você está interessado em serviços de catering?

Ou chamar +393337845113


[wpseo_address id=”0″ hide_name=”false” hide_address=”false” oneline=”false” show_state=”true” show_country=”false” show_phone=”true” show_phone_2=”true” show_fax=”true” show_email=”true” show_url=”false” show_vat=”false” show_tax=”false” show_coc=”false” show_price_range=”false” show_logo=”false” show_opening_hours=”false” hide_closed=”false”]
Scroll to Top